Em um ponto qualquer

A história foi praticamente assim, um dia aparentemente normal, uma segunda chuvosa, um friozinho delícia para ficar na cama mas que me guardava um grande ensinamento.

As segundas costumo ir á academia, e agora no começo do ano comecei a frequentar a smartfit, que fica uns 30min de caminhada da minha casa e uns 10min de carro, e nesse dia em particular senti vontade de ir caminhando, mesmo estando garoando, simplesmente senti essa necessidade de ir andando, o que implicaria voltar de ônibus por causa do horário.

Me encontrei com minha prima e fomos.

Depois do treino demos um passeio básico no shopping e viemos embora.

Ficamos no ponto por uns 20min esperando o bus, e nesse meio tempo, se aproximou um rapaz com um texto na mão dizendo “com licença moça” e oferecendo o papel, sabia que naquele papel ele estava a pedir dinheiro, então recusei o bilhete, mas minha prima pegou, deu uma lida naquelas minúsculas letras e devolveu dizendo “sinto muito, hoje só tenho da passagem” (o que realmente era verdade, nós duas só tínhamos os R$3,50 da passagem).

Em casa, depois de comer, ver tv, tomar banho e vir me deitar e fazer a rotina noturna, comecei a refletir sobre o dia e esses segundos me vieram a mente.

A mais ou menos uma semana, uma das coisas que o Senhor tem falado muito comigo é sobre a conduta de uma pessoa que segue os ensinamentos de Jesus, que deixa o Espírito Santo habitar em seu coração e agir em sua vida e o que fiz na noite de ontem não demonstrou nada disso.

Eu deveria ser gentil, me preocupar com a dor do próximo, ajudar, mas durante aqueles segundos a única coisa que pensei foi “puxa, nem falar ele vai? Vem pedir dinheiro e nem tem a capacidade de falar?”. Pensei em mim, nos risco que correria de abrir a carteira, nas moedas contadas para pagar a minha passagem de ônibus. No quão difícil é para meus pais conquistarem esses trocados.

Não quis nem ao menos saber o por que ele estava ali, qual era a real necessidade dele. Talvez ele estivesse mentindo, pedindo dinheiro para drogas, bebidas, talvez não, talvez precisasse realmente, de que me importa? Quando Jesus disse para ajudar meu próximo, não colocou um “se”.

Ajude seu próximo “se” ele não for beber.

Só ajude alguém “se” ela não for se drogar.

Se importe, mas só “se” você tiver tempo/dinheiro sobrando.

NÃO!

Ele disse “Ame o seu próximo como a ti mesmo” e sim, você sempre arranja tempo para você mesmo, afinal, é a coisa mais importante do mundo, não é mesmo?

Tenho uma má notícia, você não é a coisa mais importante do mundo, seu próximo é.

Talvez esse texto não passem de palavras escritas, se assim o forem, que seja no coração, pois assim implicará em mudanças tanto do pensar quanto do agir.

Enfim,

Espero que assim como eu, você possa refletir sobre isso e mudar seu agir.

Mesmo que no momento não tenha o bem que determinada pessoa esteja pedindo, você tem seu tempo, que é muito mais precioso, você pode demonstrar que se importa por essa pessoa e quem sabe tornar o dia dela menos amargo.

Beijos,

Thaís Gama.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Olá! Adoraria saber sua opinião sobre o post!
Pode ser sincero, mas sem maldade, lembre-se sou uma pessoa também!